quarta-feira, 2 de abril de 2014
58231_591129357580582_2005704433_n-600x713[1]
O nome desse monstrinho é pulga-do-mar (Cymothoa exigua). O parasita,(crustáceo isópode, se acomoda na base da língua do peixe, devorando-a inteira e literalmente tomando seu lugar.
Não sei por que a natureza foi tão cruel com o peixe. A pulga entra na boca do peixe através de suas brânquias. Então, começa a extrair seu sangue cortando a língua do animal através de seus três pares de pernas com garras fronteiras.
Conforme o parasita cresce, menos sangue chega até a língua do peixe até que, eventualmente, o órgão atrofia. Em seguida, a pulga substitui a língua do peixe, anexando o seu próprio corpo aos músculos do topo da língua (em muitos casos, 90% da língua do peixe deixam de existir, com o crustáceo em seu lugar).
O peixe é capaz de utilizar o parasita como uma língua normal (exceto pelo fato de que é tudo, menos normal). Estudos mostram que não há indicação de redução do poder de alimentação ou de respiração no animal. Esse é o primeiro caso conhecido (em animais) de substituição funcional de uma estrutura do hospedeiro por um parasita.
Exceto virar sua língua, aparentemente a pulga-do-mar não causa qualquer outro dano ao peixe hospedeiro.
O parasita faz parte da família Cymothoidae. Várias espécies desta família também são isópodes parasitas, que provavelmente não causam altas taxas de mortalidade nas centenas de peixes marinhos e de água doce que parasitam.

0 comentários: